Jovem de 13 anos morre vítima da febre maculosa em Assis

A saúde pública da cidade de Assis, no interior de São Paulo, está em alerta. Uma menor de 13 anos morreu vítima de febre maculosa. Há oito anos a cidade não registrava casos da doença, que foi confirmada na última quarta-feira (7) pelo Instituto Adolfo Lutz.

A febre maculosa é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela. Para a Vigilância Sanitária, a confirmação de febre maculosa deixa a cidade em estado de atenção. A adolescente estudava em uma escola e amigos da jovem disseram à diretora que, dias antes da menor ser internada com sintomas da doença, ela esteva em um córrego onde teria nadado com o grupo de colegas. Para evitar novos casos, a direção está orientando estudantes e pais.

O córrego da Fortuna é de fácil acesso. A mata fechada atrai capivaras e outros animais hospedeiros do carrapato-estrela.

A partir de agora, a Vigilância Epidemiológica irá distribuir panfletos com orientações sobre a doença. Áreas de risco como o córrego irão receber placas para que os visitantes fiquem bem longe dos carrapatos.





Sintomas
A pessoa infectada pode desenvolver sintomas de 2 a 14 dias após a picada. Os sintomas podem praticamente não existir ou serem muito fracos, o que dificulta o diagnóstico.

Nas pessoas que desenvolvem o quadro mais característico, a febre pode ser moderada a alta, chegando até aos 40 graus. A febre pode durar de 2 a 3 semanas e, geralmente, a pessoa tem que restringir as suas atividades, sendo necessário repouso no leito. É comum ter dor de cabeça intensa, dor no corpo, calafrios e edema dos olhos e conjuntivas.

Nos primeiros dias de febre pode aparecer a mácula, de onde vem o nome da doença. São lesões de pele, róseas, nos punhos e tornozelos, que progridem para o tronco e face. Em seguida atinge mãos e pés. O local onde houve a picada pode formar uma úlcera necrótica semelhante à lesão de picada de aranha.

A doença pode evoluir para cura espontânea em 3 semanas. Porém, nas formas mais graves, as lesões de pele são mais hemorrágicas e podem ocorrer a necrose nos dedos, nas orelhas, no palato mole e nos genitais. Podem ser acompanhados de sangramento de gengivas, do nariz, vômitos e tosse seca intensa. A mortalidade pode chegar até 20% dos casos diagnosticados.

Fonte: G1





Deixe seu comentário