Motociclista que atropelou e matou criança está foragido em Assis

A família de uma criança, de 2 anos, que morreu após ser atropelada por uma moto quando terminava de atravessar a rua com a mãe e avó, no começo da semana, em Assis, SP, está abalada com a tragédia. No dia do acidente, o motociclista fugiu sem prestar socorro. Como nenhuma testemunha conseguiu anotar a placa da moto, a polícia tem dificuldade para localizar o autor do atropelamento.

“O certo era ele parar, perguntar o que aconteceu. Ele não fez isso. Não parou e nem olhou para trás. Foi tudo rápido, ficamos nervosos e, por isso, ninguém pegou a placa da moto”, disse a avó da menina, Josefa Cícera da Silva.

O pai da vítima contou que a filha era esperta. A família não condena o motociclista que a atropelou, mas quer que se apresente à polícia. “É difícil para a própria pessoa que atropeleu. Às vezes ela ficou com medo das outras pessoas. Mas eu perdoaria a pessoa. Quem sou para não perdoar. Eu não sou ninguém. Se ele quiser se entregar não vamos fazer nada com ele. Eu queria minha filha, mas não dá”, desabafou Elias Aguilera Mota.





Legislação
A Câmara Municipal de Assis analisa vários projetos de lei em relação ao trânsito. Um deles prevê o aumento da punição para quem comete o homicídio culposo em situações agravantes, aquele que não ha intenção de matar.

Atualmente, o Código Nacional de Transito estipula detenção de dois a quatro anos para quem comete esse crime, com aumento da pena de um terço à metade, se o motorista estiver sobre efeito de álcool. Pela proposta do novo projeto, a pena poderia ser aumentada em dois terços à metade, caso o motorista deixe de levar a vítima ao hospital na cidade de Assis.

Fonte: G1





Deixe seu comentário