Motofretistas de Assis não têm local autorizado para aplicar curso

Uma determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) exige que os mototaxistas e motofretistas profissionais façam um curso de segurança para atuarem nas funções. As novas regras já estão valendo, mas em algumas cidades, como em Assis não há local autorizado para o curso.

Para orientar os motociclistas, a Polícia Militar em Assis fez uma palestra com os profissionais. A princípio, a fiscalização vai ser educativa até que seja estabelecido o cronograma para aplicação de multas. O principal intuito das mudanças é profissionalizar as profissões e também garantir maior segurança no trânsito.

Apesar de alguns representantes não gostarem da novidade, a maioria aprova. “Vai ter gente que terá dificuldade. Tem gente que não vai conseguir, mas eu sou a favor de legalizar e trabalhar tudo certinho. Vai ajudar em tudo. Até na segurança do passageiro”, avisou o mototaxista Manoel Aparecido dos Santos.





Alfredo Valério Vieira trabalha como mototaxista há pelo menos dez anos. Ele terminou recentemente o curso de direção no Sest/Senat em Presidente Prudente. Além de usar colete refletivo, equipou a moto com os itens de segurança na cidade de Assis, como protetor de motor e cortador de linhas de pipa. Mas a principal mudança, segundo o mototaxista, é o jeito de dirigir. “Antes eu pensava no dinheiro e, agora, eu penso no bem estar do meu passageiro. Às vezes tem gente que anda 40,50km em uma via de 30km”, disse.

Alfredo fez o curso em outra cidade porque em Assis ainda não há um local aprovado pelo Detran. Outra possibilidade é assistir às aulas na unidade do Sest/Senat de Marília. E não tem como escapar. O curso de direção para transportar passageiros e cargas, agora, é obrigatório.

Quem desrespeitar alguma das novas determinações pode levar uma multa de R$ 191, além de ter a moto apreendida e ainda recebe sete pontos na carteira. Mais informações sobre o curso do Sest/Senat para formação d motofretistas e a relação de unidades estão no site da entidade.

Fonte: G1





Deixe seu comentário