Greve em hospital de Assis já causa transtorno para pacientes

A greve do Hospital Regional de Assis completou oito dias e está causando um grande problema para os pacientes da cidade e da região que precisam de atendimento especializado. A paralisação dos funcionários da saúde começou na semana passada e, desde então, somente casos de emergência estão sendo atendidos. Os servidores públicos reivindicam aumento de 26% no salário, melhores condições de trabalho e aumento no vale alimentação, que é de R$ 80 mensais.

Luzia da Silva sofre de distúrbio bipolar. Ela precisa passar por um tratamento com um médico psiquiatra, mas o hospital de Maracaí não possui a especialidade. E casos como este, uma unidade de saúde referência é acionada. Na região, a referência é o Hospital Regional de Assis. Mas Luzia aguarda há 3 dias por alguma vaga.

“Há 3 dias estamos dentro do hospital esperando uma vaga por uma pessoa que dorme amarrada por causa do distúrbio bipolar. Eles não tem condições de cuidar. Aqui não é um hospital psiquiatra”, afirma Djanir Rosa da Silva, cunhada de Luzia.






O médico de Maracaí disse que Luzia precisa ser internada com urgência para que de continuidade ao tratamento que faz. Já Paulo Mariano da Silva, morador de Paraguaçu Paulista, sofre de um problema vascular nas duas pernas. Há 9 anos ele toma remédios e faz um tratamento com especialistas do Hospital Regional. Mas quando foi agendar uma consulta recebeu a notícia que, por enquanto, não há previsão de atendimento, o que deixou ele aflito.

Quem passa pelo hospital pode achar que o movimento está normal, mas segundo o sindicato da categoria, dos 800 funcionários do Hospital Regional, pelo menos 500 estão sem trabalhar há uma semana.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, apenas o Hospital Regional de Assis e o Hospital Estadual de Presidente Prudente permanecem em greve. A secretaria decidiu cortar o ponto dos servidores que aderiram à paralisação. Eles também terão redução no valor de prêmios de incentivo. O governo afirma que, no ano passado, aprovou um novo plano de cargos e salários para os servidores da saúde, com aumento de até 40% para a categoria e que está negociando com o sindicato uma nova pauta.

Fonte: G1






Deixe seu comentário