Laudo vai dizer se fraldas vencidas em Assis, SP, poderão ser usadas ‎

Desperdício de dinheiro público em guia de Assis, interior de São Paulo. A Vigilância Sanitária do Estado interditou nesta terça-feira (14) um lote com 8.773 pacotes de fraldas descartáveis na cidade.

O produto para higiene pessoal de crianças atendidas em creches está com o prazo de validade vencido desde novembro. Nos próximos dias a Secretaria de Educação de Assis deverá informar ao Estado sobre o destino que dará as fraldas que não podem ser usadas em crianças, já que podem causar irritação na pele.

Em nota, a Secretária de Educação de Assis, Ângela Canassa, informou que cerca de dez mil pacotes com fraldas do tamanho “G” foram comprados em licitação há três anos. E não soube informar porque o produto não foi utilizado.

As fraldas estão armazenadas no almoxarifado da Secretaria de Educação. Elas foram compradas numa processo de licitação de 2008. São 8.773 pacotes, com 32 fraldas cada, com prazo de validade vencido.






Nas creches de Assis são atendidas 6 mil crianças. Cada uma usaria, por dia, cinco fraldas descartáveis. O município não pode doar o produto para entidades sociais porque elas foram compradas com verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Nesta quarta-feira (14), o fabricante das fraldas enviou um laudo à prefeitura onde afirma que o produto, se for bem guardado pode ser usado por até dois meses após o vencimento do prazo.

O laudo enviado pelo fabricante, no entanto, não muda em nada a situação. Para a Vigilância Sanitária do Estado, o prazo de validade existe e deve ser seguido, já que garante a qualidade do produto e a certeza de que ele não causará danos a pele das crianças.

O município agora aguarda laudo do Instituto Adolfo Lutz para saber se as fraldas poderão ser usadas ou se terão mesmo que ser incineradas.

Fonte: G1






Deixe seu comentário